fptmCAMPEONATOS NACIONAIS EQUIPAS
Play-off do Campeonato Nacional da 1ª Divisão Masculina
 
Federação Portuguesa de Ténis de Mesa irá proceder à retoma da competição formal, após a recente publicação da Resolução de Conselho de Ministros nº51-2020 de 27 de junho, na qual se possibilita a realização de competições de modalidades individuais sem contacto.
Este reinício significativo acontecerá com a conclusão do Campeonato Nacional da 1ª Divisão Masculina,  com a realização do Play-Off, entre os dias 2 e 5 de julho de 2020. Esta fase final será realizada no Centro de Treino e Alto Rendimento de Gaia, instalação que conta com um plano de contingência já testado e implementado há mais de seis semanas, marcando presença os três primeiros classificados da fase inicial da competição: Sporting Clube de Portugal, GDSR Toledos e GDCS Juncal.
A formação madeirense do Clube Desportivo São Roque, que terminou a fase regular da competição na quarta posição, abdicou da presença nesta fase final, fruto das contingências da pandemia, por considerar que não estavam reunidas as condições para se deslocar ao norte do país.
Este evento será realizado em condições específicas e excepcionais e serão cumpridos todos os procedimentos adequados ao combate à pandemia do COVID-19, tentando garantir assim ao máximo a segurança de todos os intervenientes, com transmissão no canal televisivo A Bola TV.
Nesta competição as equipas do CD 1º de Maio, ADC Ponta do Pargo e AD Galomar garantiram a permanência no escalão, registando-se a despromoção do Sporting C. Madeira.
 
Campeonato Nacional da 1ª Divisão Feminina
 
No Campeonato Nacional da 1ª Divisão Feminina foi decidido não realizar a Fase Final da competição, não havendo lugar à disputa do título nacional.
A formação da Associação Desportiva e Cultural da Ponta do Pargo, que tinha terminado a fase regular na segunda posição, seria umas das formações apuradas para a disputa do Play-Off, mas neste caso não irá participar no habitual Play-off.
A maioria das equipas envolvidas considerou não estarem reunidas as condições mínimas para a realização do evento, tendo a FPTM optado por esta difícil decisão.
As condições de participação da equipa madeirense no evento seriam igualmente dificultada pelas questões do transporte aéreo e riscos da deslocação, à semelhança do verificado no setor masculino.
 A formação do CTM Santa Teresinha, que competiu neste escalão, não alcançou a manutenção, sendo despromovida ao Campeonato Nacional da 2ª Divisão Feminina.
 
Campeonatos Nacionais da 2ª Divisão - Zona Madeira
 
No que concerne ao Campeonato Nacional da 2ª Divisão de Honra Masculina - Zona Madeira, a competição foi concluída, tendo em conta a atual tabela classificativa.
Considerou a FPTM não haver condições de realizar as jornadas em falta, permitindo assim que não haja descidas de divisão, exceptuando-se aquelas já consumadas, mantendo a coerência com o que acontece no principal campeonato.
A formação do Grupo Desportivo do Estreito, que à data da paragem "forçada" liderava a Série Madeira, garantiu um lugar na fase de qualificação para o principal escalão nacional masculino. As equipas do GDCAAA Guilhabreu, Ginásio C. Valbom, SL Benfica e CTM Lagos juntam-se aos madeirenses, com direito desportivo de disputar a subida de divisão numa denominada "Liguilha", a realizar em setembro 2020.
Nesta competição disputam-se as três vagas possíveis de acesso à 1ª Divisão Nacional, estando dificultada a participação da equipa de Câmara de Lobos, devido aos apoios disponíveis para uma "aventura" no principal campeonato nacional.    
No Campeonato Nacional da 2ª Divisão Feminina - Zona Madeira,  a equipa que mais se destacou foi a formação do Clube Desportivo São Roque, que liderava a série no momento de suspensão da competição.
No entendimento da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa deverá ocorrer um alargamento da 1ª Divisão Nacional Feminina, na próxima época desportiva, sendo que a equipa madeirense terá lugar reservado na edição 2020/2021 do principal campeonato nacional, caso pretenda. Juntam-se ao CD São Roque as equipas do Boa Hora FC e LFC Lourosa.
Caso a equipa madeirense efetive a sua inscrição no referido campeonato, e à luz dos atuais regulamentos regionais de apoio, terá de suportar os custos integrais dessa participação.
Nestas duas competições nenhuma formação será despromovida ao escalão inferior, de acordo com as decisões federativas a este nível.