CAMPEONATO NACIONAL 1ª DIVISÃO FEMININA 2020/2021
Federação Portuguesa define participação da ADC Ponta do Pargo
 
      A modalidade de Ténis de Mesa tem estado condicionada na sua atividade, fruto das contingências originadas pela pandemia Covid-19, a exemplo do fenómeno desportivo em geral.
     As atividades desportivas de treino e de competição, salvo as conhecidas exceções, não têm acontecido no último período, atendendo às determinações governativas, restrição de acesso a instalações desportivas e controlo da deslocação/aglomeração de pessoas.
     Apesar dos processos de retoma estarem planeados, não tem sido possível, atendendo à evolução negativa da epidemia, fazer com que as equipas madeirenses possam competir na dimensão nacional, de uma forma regular.
     Com especial ênfase nos Campeonatos da 1ª Divisão Nacional, as principais equipas representativas da ADC Ponta do Pargo, AD Galomar, CD 1º de Maio e CD São Roque, têm visto adiadas as suas expetativas de competir no primeiro escalão nacional, desde novembro de 2020.
     Os processos têm vindo a ser intermediados com a Federação Portuguesa de Ténis de Mesa, entidade muito próxima e conhecedora do atual contexto na Região Autónoma da Madeira, com contactos permanentes e dinâmicos.
     Apesar da ausência das cinco formações madeirenses das principais competições nacionais, os campeonatos têm prosseguido, com a realização dos encontros entre as equipas adversárias, atualmente com um desfasamento significativo em termos de número de jornadas disputadas.
     Destacando-se o caráter solidário e colaborativo da Federação Portuguesa de Ténis de Mesa (FPTM) e de todas as equipas adversárias em competição, tornou-se fundamental intervir na definição de um quadro resolutivo, nomeadamente no Campeonato Nacional da 1ª Divisão Feminina 2020/2021.
     Esta competição integra um total de nove formações, sendo que a ADC Ponta do Pargo não teve a oportunidade de iniciar a sua participação na prova, que já iniciou a segunda volta da competição.
     No sentido de salvaguardar a integridade da competição, fazendo disputar os vários encontros de forma regular e entre todas as formações participantes, entendeu a FPTM que não estavam reunidas as condições para garantir a integração da ADC Ponta do Pargo na 1ª fase do campeonato.
     Entrando-se agora na segunda volta da competição, sem que o clube tenha realizado qualquer encontro e não se perspetivando data para que as equipas da Região Autónoma da Madeira tenham autorização das autoridades locais para regressar à competição, a FPTM decidiu implementar as seguintes medidas imediatas:

- Dispensar a equipa da ADC Ponta do Pargo de competir do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão Feminina 2020/2021;
- A FPTM não aplica, excecionalmente, os pontos A 1.10 e A 1.11 do Regulamento Geral, isentando o clube de possíveis procedimentos disciplinares;
- A FPTM atribui de imediato o 8.º lugar na tabela classificativa à ADC Ponta do Pargo, com direito a participar no Play-out da competição, a ser realizado com o vencedor do Campeonato Nacional da 2ª Divisão Feminina.

     A equipa madeirense terá assim de se preparar para a disputa da permanência no primeiro escalão nacional feminino, respeitando o historial e estatuto que a mesma detém no panorama nacional da modalidade. Relembre-se que a equipa madeirense já se sagrou campeã nacional da 1ª Divisão Feminina em 2004, venceu a Supertaça José Manuel Amaro em 2005 e 2010, tendo regularmente integrado o Play-off neste escalão e marcado presença assídua nas competições europeias de clubes.